GOB inicia festejos do bicentenário

184


Neste domingo (9) o Grande Oriente do Brasil (GOB) deu início às comemorações de seu bicentenário com uma linda e histórica cerimônia realizada no Palácio do Lavradio. A escolha da data não poderia ser mais representativa. O Dia do Fico, uma data com uma importância decisiva para a consolidação do Brasil como Nação, episódio histórico este que teve uma decisiva participação da Maçonaria.
O Grande Oriente do Brasil Rio Grande do Sul esteve representado nesta importante solenidade através da delegação liderada pelo Eminente Grão Mestre irmão Lucas Moraes Sitya e composta pelo Grão Mestre Adjunto Poderoso irmão Marco Aronne de Abreu e o presidente do Tribunal de Justiça Maçônica do RS, Poderoso Irmão Luiz Facchin. A FRAFEM-RS esteve representada pela sua vice-presidente Fátima Fachin, por ocasião do encontro nacional com as demais fraternas na data de 08/01 e nas festividades do dia 09/01, dia do Fico.
Também no evento, o Eminente Grão Mestre irmao Lucas Moraes Sityá recebeu do Grão Mestre do GOB-RJ, Aldo Virgílio Carolino, a comenda “Álvaro Palmeira – Vanguardeiro da Maçonaria Nº 128”em reconhecimento aos relevantes serviços prestados à Ordem Maçônica e à sociedade em geral.
Dia do Fico e o GOB
Os acontecimentos políticos nos bastidores da monarquia contaram com participação decisiva de maçons, sobretudo do senador José Clemente Pereira. No momento em que Dom Pedro I vai à sacada do Paço Imperial declarar que resistiria à pressão da Coroa Portuguesa e se manteria no Brasil, vários atores da política, da sociedade, das artes e cultura integravam o movimento de resistência.
Cabe ressaltar que a fundação do Grande Oriente do Brasil, em 17 de Junho de 1822, é anterior a nossa Independência proclamada por D. Pedro I em setembro de 1822. Durante todo o ano de 2022 haverá uma série de eventos que marcarão as festividades, relembrando o legado do GOB para a consolidação de nossa Nação. Vale lembrar ainda que no Brasil o GOB é a única instituição não estatal que possui 200 anos de atividade ininterrupta e a terceira geral no Brasil a completar 200 anos, após o Casa da Moeda e do Banco do Brasil.
A festividade
A cerimônia foi presidida pelo Grão Mestre Geral Múcio Bonifácio Guimarães, que destacou que o Fico foi um acontecimento Maçônico, dirigido por José Joaquim Rocha, que com um grupo de maçons patriotas, fundou o clube da resistência, o verdadeiro organizador do dia do Fico. Lembrou ainda as inúmeras participações da Maçonaria no contexto histórico do Brasil. Senão vejamos: a libertação dos escravos, num papel relevante na missão de luta pelos direitos humanitários e de batalha pela liberdade. Na abolição da escravatura registrou-se a predominância de Maçons como Visconde de Rio Branco, José do Patrocino, Joaquim Nabuco, Eusébio de Queiroz, Quintino Bocaiúva, Rui Barbosa, Cristiano Otoni, Castro Alves, e muitos outros. Outra participação fundamental foi nos eventos decisivos para a Proclamação da República, entre outros fatos que mudaram significativamente a história política, social e econômica do nosso País.